Vôlei

Copel Telecom Maringá busca captação pela Lei de Incentivo ao Esporte

Prazo final para empresas e pessoas físicas ingressarem nos projetos é esta sexta-feira (29). Foto: Divulgação

O Copel Telecom Maringá Vôlei, que disputa a Superliga Masculina de Vôlei 2017/18 tem a expectativa de fazer mais investimentos com o apoio de empresas e pessoas físicas por meio da Lei de Incentivo ao Esporte (LIE). O valor máximo de captação pelo Ministério do Esporte para este ano é de até R$ 1,813 milhão.

Empresários e apoiadores do esporte podem ingressar no projeto até o próximo dia 29. O Copel Telecom Maringá Vôlei tem propagado no nome da cidade na disputa do campeonato nacional de alta performance e atraído milhares de torcedores nas partidas em casa, no ginásio Chico Neto.

O levantador Ricardinho, que foi campeão olímpico pela seleção brasileira de vôlei é um dos atletas do time e também mantém em Maringá o Núcleo de Vôlei Ricardinho (NVR), que hoje atende cerca de 300 crianças e adolescentes de 7 a 17 anos. O NVR é um projeto criado pelo levantador e presidente do Copel Telecom Maringá Vôlei para proporcionar um futuro mais promissor aos jovens. É totalmente gratuito e, por isto, demanda custos, pois são contratados professores, técnicos e existem gastos com bolas, lanches, uniformes, materiais, suporte familiar e comportamental.

Segundo Ricardinho, o time precisa de mais patrocinadores para fazer investimentos em atletas porque a Superliga é altamente competitiva. “Os maringaenses são apaixonados pelo voleibol e mostram isso quando a equipe joga em casa. Então temos que trazer alegria à torcida e também propagar o nome da cidade com as conquistas do time na competição nacional que disputamos”, disse.

Para Ricardinho, a Lei de Incentivo ao Esporte é uma ótima oportunidade para empresas e pessoas físicas de testemunharem o crescimento do esporte e garantia de uma vida melhor para crianças e adolescentes que precisam de apoio. “A modalidade esportiva cresce, são criados mais empregos diretos e indiretos e o investimento não custa nada para a empresa ou apoiador porque é incentivo fiscal”, comentou.

Sobre a lei

A Lei de Incentivo ao Esporte (11.438) foi sancionada em dezembro de 2006 e é hoje importante instrumento para o esporte em todas as regiões do País porque estimula pessoas e empresas a patrocinar e fazer doações para projetos esportivos e paradesportivos em troca de incentivos fiscais.

Para pessoa física, a destinação pode chegar a 6% no valor do Imposto de Renda devido. Cabe ao contribuinte decidir se quer usá-lo em sua totalidade no incentivo ao esporte. Já para pessoa jurídica tributada com base no lucro real – multinacionais, conglomerados dos setores bancário, industrial, de transporte aéreo e empresas de telecomunicações -, a destinação é de até 1% sobre o imposto devido.

Dados

Processo: 58701.005998/2015-14

Proponente: Volei Brasil Centro de Excelência

Título: Volei Brasil Centro de Excelência

Registro: 02PR137612014

Manifestação Desportiva: Desporto de Rendimento

CNPJ: 18.490.606/0001-18

Cidade: Maringá UF: PR

Valor autorizado para captação: R$ 1.813.059,49

Dados Bancários: Banco do Brasil Agência nº 0352 DV: 2

Por assessoria de imprensa.

Comentários

comentários