Judô

Um pouco de Roberto Nagahama – Uma vida dedicada ao judô

Uma vida dedicada ao judô. Foto: Walter Fernandes /Pólen Comunicação

Por João Cláudio Fragoso – Redação Tem Esporte –

Roberto Nagahama, 59 anos de idade, nascido em São Paulo, casado, dois filhos, faixa coral -vermelha e branca do 7º Dan no Judô, formado em Educação Física e muito comprometido com o sucesso alheio.

Esse será nosso personagem para abrir uma série de histórias de esportistas que contribuíram ou contribuem para as mais diversas modalidades que Maringá se destaca no cenário esportivo.

Praticante do judô desde os cinco anos de idade, influenciado por seu tio Paulo Massaharu Nagahama.  Nagahama tem uma grande história de conquistas nos tatamis e na vida. Começou na arte junto com mais quatro primos em 1964, sendo o caçula do grupo, na cidade de Curitiba, capital do Paraná.

Em 1965 seu tio veio para Maringá, na sequência, toda a família mudou-se para a cidade canção, o que lhe oportunizou a continuidade das aulas de judô com seu mentor, o qual, em 1967 junto com amigos fundou o departamento de judô da SOCEMA, atualmente com o nome de ACEMA.

Desde quando iniciou no esporte, ele comenta que por apenas três meses ficou longe dos tatamIs, decorrente de uma hepatite, aos sete anos. “Fiquei encantado com o judô. Mesmo muito novo reconheci a importância da disciplina e dedicação, sendo assim, venho seguindo rigorosamente os ensinamentos de meus mestres”, comenta Nagahama, referendando seu pai, Roberto Cazuo Nagahama, o qual quando pequeno sofreu uma queda de uma árvore e ficou com deficiência em uma das pernas. “Meu pai me incentivou desde o início, me apoiando em minhas decisões e ajudando a trilhar meus caminhos. Foi meu verdadeiro mestre”.

Dando um salto na história de vida do Sensei, em 1972 começaram suas conquistas, sendo campeão paranaense aos 13 anos.  Em 1976, seus grandes feitos como atleta chegaram com louvor, sagrando-se campeão estadual nas categorias Juvenil, Júnior e Sênior. Entre uma competição e outra se casou e, em 1981 veio a notícia que lhe fez escolher: competir ou ser pai? “Fiz a escolha mais correta em minha vida”. Em 1982 chegou seu primeiro filho, lhe dando alegria contagiante em seus olhos ao contar sobre o nascimento de seu primogênito.

Tendo conquistado, com muito treinamento e dedicação, em 1979 tornou-se faixa preta pelas mãos de seu professor, Oswaldo Yoshio Umeda. Já em 1977, deu inicio ao projeto de repassar seus conhecimentos, como professor iniciou dando aulas a um grupo de amigos na garagem da empresa de seu pai, sem deixar de se especializar diariamente. Em 1979 adquiriu o GMCF (Ginásio Maringaense de Cultura Física) hoje com o tradicional nome de AMCF (Academia Maringaense de Cultura Física), local que ainda conta com sua gerência e ensinamentos, tendo mais de seis mil alunos em seu currículo em 40 anos de atividades, Roberto conta hoje com seus filhos, Lucio e Denis, para a continuidade do judô, ambos profissionais de educação física e professores faixa preta do 3º Dan.

Perguntado sobre o que é o judô para ele, sem titubear Nagahama entoa com satisfação e orgulho: “É uma ferramenta de transformação na vida das pessoas. Levando conceitos de limites, ética, disciplina, respeito, honestidade e saúde, que são adjetivos essenciais para um sujeito ter um relacionamento equilibrado junto à sociedade”, finaliza ele, frisando a alegria em saber que os que passaram por ele em sua academia são grandes membros da sociedade, tendo a certeza que são pessoas diferenciadas na sociedade, pelos ensinamentos adquiridos com a prática da arte do “caminho suave” – judô.

Comentários

comentários