Paranaense 1ª Divisão

Músicas da Fúria Alvinegra dão ritmo ao Maringá FC em campo

Fúria conta com cerca de 20 músicas, que são acompanhadas por três surdos, dois repeniques e uma caixa. Foto: Fernando Teramatsu

Redação Tem Esporte –

Em campo, são 11 contra 11. No entanto, é com o apoio vindo da arquibancada que o número de jogadores pode parecer se multiplicar em no gramado. No Maringá FC, a torcida organizada Fúria Alvinegra é quem contribui para empurrar o time dentro das quatro linhas, transformando as letras das músicas e o ritmo forte da bateria em energia positiva para o MFC.

Itamar Augusto Meurer Piano, mais conhecido por Rovilson, apelido que ganhou na infância, é o puxador da Fúria Alvinegra, cargo que assume desde 2011, um ano depois de se tornar membro da torcida. Apesar de estar na linha de frente, ele explica que todos os integrantes podem participar da criação de novos “gritos de guerra”.

“Assim que apresentada a música, ela passa por uma triagem e Alguns se inspiram em samba, outros em músicas de rock, ou até músicas de outras torcidas, inclusive as europeias”, diz.

Em 2017, durante a campanha que resultou no acesso do Maringá para a Primeira Divisão do Campeonato Paranaense, por exemplo, a música que marcou a campanha do time foi inspirada em “O Sol”, do Jota Quest. Já a letra, além celebrar a ida para a elite do Estadual, aproveitou para provocar o outro time da cidade: o Grêmio Maringá.

“Por estarmos na Segunda Divisão e o objetivo final ser o acesso à Primeira, e aproveitando para tirar uma onda com nossos rivais, nos inspiramos em uma música do Jota Quest, que ficou assim: Hey galo, eu não te escuto mais, você, é uma piada / Hey Grêmio, que não existe mais, você é uma piada / E se quiser saber pra onde eu vou / Primeira Divisão, é pra lá que eu vou”, relata Rovilson.

O puxador da Fúria adianta que para 2018, durante o Paranaense e a Série D do Campeonato Brasileiro, novas músicas estão em fase de aprovação. Mais detalhes, porém, não foram revelados. “Não poderei soltar uma parte da letra, porque pode ser que ela não seja aprovada”, explica.

Atualmente, a Fúria conta com cerca de 20 músicas, que são acompanhadas por três surdos, dois repeniques e uma caixa. Para ensaiar, a torcida procura se reunir uma vez ao mês no Estádio Willie Davids, ou mesmo antes de a bola rolar para as partidas do time. Música e bola rolando não faltarão nesta temporada.

Comentários

comentários